Edições

Edição 2016

O Projeto GERIA foi o vencedor do Prémio Arnaldo Sampaio 2016.

Abrir diariamente as janelas exteriores, evitar termoventilador ou manter a humidade relativa entre 25% e 55% são algumas das recomendações propostas pelo GERIA - Estudo Geriátrico dos Efeitos na Saúde da Qualidade do Ar Interior em Lares da 3ª Idade de Portugal.
O projeto, coordenado por João Paulo Teixeira, do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge e promovido pelo Instituto de Saúde Pública do Porto, avaliou a ventilação e qualidade do ar em 53 equipamentos residenciais para pessoas idosas de Lisboa e Porto, com o objetivo de contribuir para a promoção da saúde dos seus residentes. Este estudo produziu recomendações para a melhoria da qualidade do ar que vão desde o arejamento, temperatura, poeiras, vapores, odores, até à limpeza, humidade e obras nestes estabelecimentos.

O júri do Prémio Arnaldo Sampaio 2016, constituído por Paulo Sousa (ENSP), Carlos Matias Dias (INSA), Henrique de Barros (ISPUP), Carlota Louro (FCM-UNL) e Sofia Núncio (INSA), atribuiu também duas Menções Honrosas. Os trabalhos Insucesso terapêutico em doentes com tuberculose pulmonar em Portugal Continental – um modelo preditivo de risco!, da autoria de investigadores da Escola Nacional de Saúde Pública, da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa e do Centro de Investigação em Saúde Pública; e Saúde Pública – A voz dos profissionais, do Centro de Estudos e Investigação em Saúde e da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e da Unidade de Saúde Pública do ACeS Pinhal Litoral, foram os premiados.

O Prémio Arnaldo Sampaio 2016, no valor de 3.000 Euros, é patrocinado pela Fundação Calouste Gulbenkian e visa distinguir o melhor trabalho de investigação em Saúde Pública realizado em Portugal, concluído nos últimos dois anos.

A cerimónia de atribuição do Prémio tem lugar no V Congresso Nacional de Saúde Pública, no próximo dia 16 de fevereiro, a partir das 16h, no Porto.


Edições Anteriores

Vencedor

“Predizer a eficácia da liderança. Utilização do modelo de Fiedler no caso dos centros de saúde"

— Fernando Vasco da Silva Marques

Vencedor

“Hábitos de vida e percepção da saúde. Inquérito de um dia a utilizadores de um centro de saúde”

— Emília Martins & Nunes Natário

Vencedor

“Critérios consensuais da qualidade de desempenho dos centros de saúde. Metodologia da combinação da técnica de Delphi com a opinião de informadores-chave da comunidade”

— Cipriano Justo

Menção Honrosa

“Necessidades de formação dos directores dos centros de saúde da ARS do Porto”

— Maria Manuela Mendonça Felício

Menção Honrosa

“Comunicação e alimentação – uma abordagem”

— Maria Leonor Airoso

Menção Honrosa

“A qualidade da relação adulto-criança e o sucesso educativo”

— Maria Francisca de Albuquerque Rebelo

Menção Honrosa

“Estudo comparativo da mortalidade em Portugal e Espanha ao iniciar-se a presente década. [...]”

— Luis Cayolla da Motta e Luis Garcia Rodriguez

Menção Honrosa

“Vigilância da gravidez em Tavira: o acesso e a utilização dos serviços de saúde”

— António Paula Brito de Pina

Menção Honrosa

“Prevalência e custos da obesidade em Portugal”

— João Pereira, José Aleixo Dias, Céu Mateus e Maria João Amaral

Menção Honrosa

“Contributo para o conhecimento das necessidades de saúde de adolescentes portugueses”

— José Luís Castanheira

APPSP